Logo Topo

Blog

A relação dos tratamentos estéticos com os cuidados pós-operatórios

16/03/2017, por Dra. Luíza Hoscheidt

O sucesso de uma cirurgia plástica não depende somente do ato cirúrgico. A preocupação com os cuidados no pré e pós-operatório tem demonstrado fator imensurável como prevenção de possíveis complicações e promoção de um resultado estético mais satisfatório.

A maioria das pessoas não sabe, mas os tratamentos estéticos tem uma relação de grande importância com a recuperação de inúmeros tipos de cirurgia plásticas, dentre as mais comuns estão a Lipoaspiração, Abdominoplastia, Mastopexia, Mastoplastia de Aumento e Lifiting Facial, isto ocorre pelo fato de que em algumas dessas cirurgias plásticas é realizado deslocamento de pele e infiltração de líquido durante o procedimento cirúrgico, o que gera uma grande retenção de líquidos nas regiões operadas e até mesmo inchaço global.

Os tratamentos estéticos utilizados no pós-operatório de cirurgias plásticas tem como principais objetivos a redução do inchaço, a manutenção dos movimentos, aperfeiçoamento das cicatrizes e prevenção ou redução das aderências cicatriciais. Além disso, ajudam a diminuir equimoses (roxos), fibroses, melhoram a circulação sanguínea e o retorno venoso, aumentam a oxigenação tecidual e diminuem o tempo de recuperação após a cirurgia plástica.

Dentre os tratamentos estéticos mais indicados durante o pós-operatório de cirurgia plástica, podemos destacar a drenagem linfática, o ultrassom de alta potência, vacuoterapia e a radiofrequência. Mas é importante salientar que cada uma dessas técnicas, tem um período correto para ser utilizada, e que a imperícia na realização das mesmas pode causar complicações pós-operatórias que podem comprometer o resultado final da cirurgia.

Na clínica Perfektion dispomos de todos os equipamentos e técnicas necessárias para os tratamentos pós-operatórios, afim de garantir o melhor resultado possível em todas as cirurgias. Além disso, o trabalho aqui é em equipe, o pós-operatório sempre é feito através de prévia avaliação e discussão dos profissionais para buscar sempre o pré e pós-operatório mais indicado para cada caso.

Você sabe a diferença entre Epilação x Depilação?

24/02/2017, por Dra. Luíza Hoscheidt

Desde a época de Cleópatra, no Egito Antigo, as mulheres se depilavam. Relata-se que elas foram as primeiras a utilizar argila, o extrato de sândalo e o mel de abelha, ingredientes que deram origem as ceras que são usadas atualmente para a remoção dos pelos. Sacerdotisas do tempo de Creta chegavam a tomar bebidas entorpecentes para aliviar a dor durante o processo de depilação do corpo inteiro. Conta- se que no Brasil os índios Xavantes utilizavam a ponta dos dedos para arrancar as sobrancelhas.

Por isso constata-se que a questão de eliminar pelos é muito mais diversificada e antiga do que se pensa. Envolve culturas, crenças, religiosidade ou simplesmente o gosto estético.

Existem dois termos que expressam a remoção dos pelos de diferentes áreas do corpo, são eles, Epilação e Depilação.

Quando nos referimos a palavra Depilação, nos referimos as técnicas de remoção de pelo em que apenas a parte do pelo que fica à superfície da pele é removida, não existindo qualquer relação com as partes do pelo que se localizam em outras regiões da pele. Dentre as técnicas podemos citar, como exemplo, as lâminas, cremes e espumas depilatórias.

Já o termo Epilação é utilizado quando nos referimos as técnicas em que os pelos são removidos inteiros desde a raiz, incluindo as porções abaixo da pele e o bulbo piloso, que trata-se da região onde o pelo é gerado. Entre as técnicas que fazem esse tipo de remoção estão incluídas as ceras quentes ou frias, pinças, laser, luz pulsada e outro tipo de tecnologia que atua através da luz.

Atualmente, aqui na Perfektion, trabalhamos com o método de Epilação a Laser utilizando o Laser Milesman, que trata-se de uma remoção duradoura que apresenta os melhores resultados e com um número menor de sessões.

COM A PROXIMIDADE DO INVERNO, CHEGAMOS A ESTAÇÃO DOS PEELINGS

05/06/2015, por Dr. Charles Farias

Peeling

O inverno é a melhor época para fazer tratamentos de renovação celular, como os peelings químicos. Eles são um tipo de procedimento capaz de corrigir marcas, manchas e muitas das alterações decorrentes do envelhecimento. Além disso, melhoram a aparência e a qualidade da pele. 

Com a ausência do sol forte durante a estação fria do ano, fica mais fácil clarear essas manchas e reduzir pequenas imperfeições que, muitas vezes, são adquiridas no verão, pelo excesso de exposição à luz solar. 

O peeling á antigo. Há relatos que remetem à Antiguidade, quando Cleópatra se banhava com leite azedo (ácido lático). As mulheres da Idade Média usavam vinho azedo (ácido tartárico) para promover uma pele limpa, acetinada e rosada. Mas somente a partir do fim de 1800 é que os peelings chegaram à Medicina - e os médicos passaram a usá-los de forma científica para o tratamento da pele, com substâncias como o ácido salicílico, o resorcinol, o fenol e o ácido tricloroacético (ATA). 

Hoje eles estão divididos em peelings químicos superficiais, médios e profundos, de acordo com o nível que atingem na espessura da pele. Isso determina uma menor ou maior renovação da derme. Saiba como são, para que servem e qual o melhor para o seu caso. 

PEELINGS QUÍMICOS SUPERFICIAIS 
São os que determinam uma aplicação sucessiva que pode variar de 7 dias a 1 mês; não necessitam de nenhum tipo de anestesia; as complicações médicas são raras e têm indicação nas peles com acne, alguns tipos de manchas leves e envelhecimento discretíssimo, que pode ocorrer já a partir dos 25 anos de idade. As substâncias envolvidas mais comuns são ATA, ácido salicílico, ácido retinoico e ácido glicólico. 

Durante a aplicação pode haver um leve ardor tolerável e discreta vermelhidão, dependendo da substância em questão. Nos 3 a 4 dias subsequentes, uma descamação aceitável, corrigida com hidratantes e o uso imperativo do filtro solar, elemento obrigatório na recuperação de todos os tipos de peeling. Novidade nessa área, principalmente para quem quer eliminar manchas e rejuvenescer, é o método Melanin Care: consiste no uso de dois tipos de cremes despigmentantes de uso diário pelo paciente em casa, associados à realização de 4 a 5 peelings, semanais. Não esquecendo da manutenção dos resultados, obtida com a não-exposição solar e o uso correto de filtros solares. 

PEELINGS QUÍMICOS MÉDIOS 
De aplicação semestral, podem necessitar algum tipo de anestesia, dependendo da tolerabilidade à dor de cada um - desde um creme anestésico, passado de 30 minutos a 1 hora antes da sessão, até sedação leve ou bloqueio anestésico da área a ser tratada. As complicações do método são também raras, mas pode haver um aumento mais pronunciado das manchas ou vermelhidão prolongada da pele. Dermes que apresentam envelhecimento mais pronunciado, com sardas e manchas, se beneficiam muito desse tipo de peeling. As substâncias envolvidas são ATA (uma versão mais potente do que a usada nos peelings superficiais) e fenol sem oclusão, isto é, sem cobrir com nenhum tipo de curativo a região tratada com essa substância. A recuperação da pele, nesses casos, se dá, em média, em 10 dias, pois existe a formação de uma crosta de aspecto amarronzado, que se destacará nesse período e dará lugar a uma pele avermelhada, que paulatinamente retornará, em um mês, ao seu estado natural. 

PEELINGS QUÍMICOS PROFUNDOS 
Sempre efetuados sob sedação, com algum tipo de anestesia local ou geral, são mais indicados para aquelas peles bem claras e que tenham um grau acentuado de envelhecimento e manchas, a partir dos 50 ou 60 anos de idade. O ideal é que sejam feitos com monitoração cardíaca da pessoa que está sendo submetida ao peeling - pelas possíveis complicações com a absorção da substância que é utilizada sob oclusão, o fenol. Ele é aplicado sobre a pele e deixado com curativo por 24 a 48 horas, quando então é removido. Há inchaço e eliminação importantes de líquidos pela pele, seguidos por formação de uma crosta grossa e marrom que terá seu destacamento total numa média de 15 dias. Na sequência, uma vermelhidão ocorrerá por, no mínimo, de 2 a 3 meses após a realização do peeling. 
 

Com essas dicas você já está apto(a) a entender o que seu médico terá a lhe oferecer como tratamento de pele e peeling químico neste inverno - momento ideal, pois os dias mais frios garantem uma recuperação mais rápida, com menos riscos de surgirem manchas e inchaço.